quarta-feira, 20 de junho de 2018

Conversas com Mar

As minipalestras Conversas com Mar que iniciaram a 17 de maio e estarão a decorrer até 26 de julho, trazem-nos duplas de palestrantes que dada a sua ligação com o mar, nos contam histórias sobre as suas aventuras marítimas.

Já se realizaram quatro das dez minipalestras que irão decorrer no Jardim das Oliveiras, entre elas as conversas entre Pedro Madureira (geólogo responsável PEPC) e Luís Sebastião (tecnólogo submarino), Mónica Albuquerque (bióloga) e Ana Pêgo (educadora ambiental), Patrícia Borges (chef de cozinha) e Tânia Silva (peixeira) e Sara Carmo (velejadora olímpica) e Jorge Freire (arqueólogo subaquático).



Pedro Madureira
É Adjunto da Responsável pela Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental e Coordenador Científico do Projeto de Extensão. É um geólogo apaixonado pelos processos de formação de ilhas vulcânicas. O estudo sobre as ilhas dos Açores empurrou-o para o fundo do mar e para a geologia marinha. No fundo do mar pode observar os diferentes modos de ocorrência de recursos minerais que passarão a ser objeto de estudo. Atualmente encontra-se centrado no processo de extensão da plataforma continental de Portugal que acredita poder beneficiar o futuro das próximas gerações.


Luís Sebastião
Investigador em Robótica Marítima no Instituto Superior Técnico, apaixonado pelo mar e velejador desde tenra idade. Tem experiência vasta no projeto, construção e operação no mar de sistemas autónomos robóticos cooperativos, alguns inteiramente desenvolvidos no IST/ISR. É também perito em instrumentação para navegação, controlo e comunicações de plataformas marinhas. Tem frequentemente a responsabilidade da organização e coordenação operacional de testes no mar com equipas internacionais.


Pedro Madureira e Luís Sebastião
Fotografia ©Manuel Ruas Moreira




Mónica Albuquerque
É apaixonada pela biodiversidade, em especial pelos moluscos marinhos, pela fotografia e pelas Ilhas Selvagens. Desde nova ouvia o seu avô madeirense contar histórias do mar. é mestre em ecologia marinha e trabalha na EMEPC desde 2009 como assessora de biodiversidade marinha e comunicadora de ciência. O seu trabalho como bióloga marinha engloba a identificação e inventariação da biodiversidade marinha do mar de Portugal, tendo participado em 14 campanhas de mar desde 2006. Preocupa-a a preservação e conservação do mundo marinho e é particularmente sensível ao tema do lixo marinho. É também membro do Instituto Português de Malacologia.

Ana Pêgo
Quando era pequena, tive a sorte de morar mesmo ao lado da praia. Há quem tenha quintais, eu tinha uma praia e era ali que gostava de passar muito do meu tempo… O interesse e a curiosidade pelo mar nunca me abandonaram e acabei por estudar Bio - logia Marinha e Pescas na Universidade do Algarve. Trabalhei alguns anos em investi - gação, na área das Pescas, na Universidade do Algarve, e outros tantos como Técnica de Laboratório no Laboratório Marítimo da Guia (MARE/FCUL), em Cascais. Nos últi - mos anos tenho-me dedicado a projetos de educação ambiental de uma forma mais ou menos científica, mais ou menos artística. Nunca perdi a ligação com a praia e é lá que encontro os tesouros marinhos que uso nas minhas oficinas. A grande questão é que, nos últimos anos, esses tesouros são de uma es - pécie diferente… Foi com o objetivo de sen - sibilizar para o problema global do plástico nos oceanos que criei, em 2014, a Balaena plasticus, um projeto em coautoria com o fotógrafo de natureza Luís Quinta que foi apoiado pela Câmara Municipal de Almada.
Mónica Albuquerque e Ana Pêgo
Fotografia ©Manuel Ruas Moreira



Patrícia Borges
Docente e Investigadora do instituto Politécnico de Leiria, coordenadora de projetos de I&D, sobretudo no que concerne à utilização de espécies sustentáveis, em produtos alimentares inovadores. Conhecida por «Chef Patrícia Borges», tem desenvolvido e apresentado novos produtos à venda no mercado utilizando sobretudo recursos marinhos  pouco aproveitados, em particular a espécie cavala (Scomber colias). Esta investigadora acredita que o consumo de algumas espécies marinhas menos valorizadas, contribui fortemente para a aplicação do conceito de «comportamento sustentável», e que será uma atitude imprescindível para alcançar o caminho da sustentabilidade económica, social e ambiental.

Tânia Silva
29 anos, mãe, peixeira. Aos 16, desistiu de estudar e foi ajudar a tia numa banca de peixe. Aos 21, lançou-se sozinha no Mercado de Algés onde teve a sua própria banca de peixe. Em 2013, juntou-se à Peixaria Centenária onde hoje lidera uma equipa de 6 peixeiros e é sócia: 14 metros de banca de peixe fresco em 3 bairros e tanto peixe para vender, sempre com um sorriso na cara.
Patrícia Borges e Tânia Silva
Fotografia ©Manuel Ruas Moreira



Sara Carmo
Sara Carmo começou a praticar Vela aos sete anos, representando hoje o Clube Naval de Cascais. Após ter competido vários anos na classe Europe, a velejadora portuguesa fez a transição para a classe Laser Radial, na qual garantiu a qualificação para os Jogos Olímpicos Rio 2016, a segunda presença consecutiva em Jogos Olímpicos após o 28º lugar em Londres 2012.


Jorge Freire
Arqueólogo marítimo no Centro de Humanidades da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa que tem como objetivo o estudo do mar através da herança cultural marítima. Preocupa-o a preservação e conservação desta herança em benefício da Humanidade. Acredita que Portugal necessita de conhecer  o valor cultural do mar para compreender os desígnios. Coordena a Arqueologia Subaquática do Concelho de Cascais.


Sara Carmo e Jorge Freire
Fotografia ©Manuel Ruas Moreira



Próximas Conversas

21 Junho  Maria Ana Martins (jurista) e João Varela (Biotecnologia marinha)


28 Junho – Raquel Gaspar (bióloga) e Pedro Salgado (desenhador)
5 Julho – Raquel Costa (geóloga) e Teresa Firmino (jornalista)
12 Julho – Andreia Afonso (ROV) e António Calado (ROV)
19 Julho – Nuno Vasco Rodrigues (mergulhador) e António Calisto Figueira (pescador)
26 Julho – Joaquim Boiça (historiador de faróis), Miguel Figueira (surfista) e Eurico Romaguera (surfista)


O ciclo No Fundo Portugal é Mar resulta de uma parceria entre a Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) e o Centro Cultural de Belém (CCB/Fábrica das Artes).
https://www.emepc.pt/pt/

Sem comentários:

Enviar um comentário